• The Brazilian Critic

Última temporada de “O Negócio” diverte, mas não conclui sua história como deveria

Atualizado: 17 de Jul de 2020


Em 2013 estreava uma série brasileira inovadora na HBO, em parceira com a Mixer Filmes, com a proposta de mostrar a prostituição de luxo de maneira didática, com seus fundamentos econômicos e administrativos em pauta. Assim, “O Negócio” trazia de maneira leve e subjetiva as aventuras de Karin em sua empreitada sexual, a “Oceano Azul”, conquistando um público cativo. E, no último dia 03 de junho, chegou ao fim a produção, com sua quarta e última temporada, bastante aguardada pelos fãs.


Com roteiros de Fabio Danesi, Camila Raffanti e Alexandre Soares da Silva e direção de Michel Tikhomiroff e Júlia Jordão, a quarta temporada trouxe mais do mesmo, podendo agradar o espectador, mas não cumprindo sua função como sendo o último ano da série.


Com textos às vezes confusos e diálogos simples demais, tudo narrado em off por Luna, os episódios, que deveriam concluir a saga das empresárias/prostitutas, acabam se perdendo, como já ocorrera em anos anteriores, dando a impressão de que mais uma temporada ainda está por vir (mesmo esta sendo a última).

O enredo em volta da personagem principal se baseia na questão do preconceito com as garotas de programa, o que poderia ser um tema bem explorado, não fosse as incoerências encontradas no roteiro. Além disso, as tramas paralelas não têm muito contexto com a principal, servindo somente de escape visual para o espectador. Tudo isso regado a muita nudez e uma trilha sonora incidental constante.


As interpretações continuam em harmonia com as personagens. O trio de protagonistas, formado por Rafaela Mandelli, Juliana Schalch e Michelle Batista, juntamente à Aline Jones, que se uniu ao grupo na temporada anterior, permanece confortável com os papéis. É um elenco feminino bem engajado em suas personagens, mesmo quando a história não às favorece.

A série também conta com boas participações de Guilherme Weber, Gabriel Godoy, Kauê Telloli e João Côrtes.


A quarta temporada de “O Negócio” com certeza vai agradar aos fãs menos exigentes que simplesmente acompanharam visualmente a trajetória das garotas de programa, sem prestar muito atenção ao texto.


Mas, sendo o último ano da série, esperava-se um desfecho mais coerente com as personagens, à altura de Karin, Luna e Magali.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now