• The Brazilian Critic

Quarta temporada de “Mister Brau” tem retorno às origens e afirmação feminina

Atualizado: 17 de Jul de 2020


Ontem, terça-feira (12/06) foi ao ar o oitavo e último episódio da quarta temporada de “Mister Brau“, série de comédia da TV Globo criada por Jorge Furtado. Esse ano, a família Brau experimentou desde o empoderamento feminino ao preconceito racial, além de um retorno às origens.


Passados três anos, o seriado já mostrou como as histórias de cada episódio são conduzidas: à base de diálogos rápidos e bem escritos, acompanhados de muita música. Esse ano não foi diferente, com exceção da inversão de personagens: Michele dessa vez é a protagonista.


Não que Brau tenha perdido espaço, mas dessa vez o sucesso é todo dela. Aliás, desde o começo da série em 2015 ambos os protagonistas tem tempo em cena semelhantes, algo que induz a simpatia do público por ambos e ajuda as minorias a se identificarem.

fr-2496.jpg

Foi uma temporada cheia de bons momentos. A viagem para a Angola, redescobrindo as origens; o episódio em que o filho adotivo dos Brau é acusado de furto, abordando as dificuldades dos negros na sociedade; o retorno de Dona Rosita, mãe de Gomes, contando com mais uma participação superespecial de Fernanda Montenegro; a ressurreição de Priscila, personagem que Lázaro Ramos dava vida no programa “Sexo Frágil” no começo dos anos 2000; a presença de Cacau Protásio e Lellêzinha como Carmo e Yasmin.


Além disso os momentos musicais da temporada foram bastantes assertivos, com Michele cono uma estrela de nível internacional, abusando de vários ritmos populares, e Brau voltando à Madureira, reinventando as influências brasileiras que o lançaram no mercado fonográfico.


O elenco continua em sintonia: Lázaro Ramos e Taís Araújo são extremamente cativantes, cada um em seu modo de atuação específico; Fernanda de Freitas continua sendo uma das atrizes mais competente das séries de humor da Globo; George Sauma também tem uma leveza de interpretação cômica sempre presente; e Luis Miranda e Kiko Mascarenhas como uma dupla de escadas que funcionam muito bem com o resto do elenco. Vale ressaltar que Cláudia Missura e Marcelo Flores tiveram mais espaço nessa quarta temporada.

306724.jpg

Com a indefinição de uma próxima temporada, simbolizando este o último ano de aparição da família Brau nas televisões brasileiras, é válido relembrar da importância de “Mister Brau” para a sociedade atual. Ter um casal negro como protagonista de uma série no horário nobre da maior emissora do país é uma missão importantíssima para um programa de televisão.


Elementos como o humor refinado, diálogos apressados inspirados por Jorge Furtado, a trilha sonora muito bem produzida e sempre marcante em cada episódio, e os personagens carismáticos e de importância social para a população fazem de “Mister Brau” um dos programas mais especiais que já passaram pela grade da Globo.